Segurança Pública do Paraná reforça buscas em Guarapuava e encaminha homem suspeito de auxiliar quadrilha
18/04/2022 - 17:50

Mais de 200 policiais militares, civis e peritos da Polícia Científica estão na região de Guarapuava para tentar localizar os autores da tentativa de roubo à empresa de transporte de valores desde a madrugada desta segunda-feira (18/04). Viaturas, aeronaves e cães para faro de diversos setores operacionais das Polícias Militar e Civil estão na região para reforçar os trabalhos. Um homem, que poderia ter ligação com o fornecimento de armas à quadrilha, foi encaminhado pela PM. 

O balanço dos trabalhos até às 16 horas desta segunda-feira é de 12 veículos apreendidos (quatro deles queimados e usados como barreiras pelos criminosos), além de três armas de calibre .50; um fuzil de calibre 7,62; quatro armas de calibre 5,56; uma espingarda de calibre .12; uma pistola de calibre 9mm; um carregador de fuzil AK-47; 163 munições de calibres 7,62 e 5,56; R$ 1,4 mil em espécie; dois coletes balísticos; quatro capacetes balísticos; kits de primeiros socorros; facas, celulares e mochilas com roupas, remédios e itens de higiene. 

Assim que foi inteirado dos fatos, ainda na madrugada, o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, deslocou até a cidade para verificar de perto a situação e promover a organização de uma operação integrada das forças policiais estaduais, com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal. Os trabalhos estão sendo feitos juntamente com o Comandante-Geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira, e o Delegado-Geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockemback. 

A primeira medida foi reforçar o policiamento em toda a cidade e na região rural das imediações para aumentar a sensação de segurança da população. Segundo o secretário Marinho, a situação na cidade já está tranquila, com a rotina sendo retomada. “A preparação da Polícia Militar funcionou neste caso, evitando o confronto na região urbana para evitar que pessoas fossem feridas e houvessem mais danos”, salientou. 

Segundo o coronel Hudson, graças ao trabalho de Inteligência e ao plano de contigência, havia tropas preparadas que chegaram rápido ao local da ocorrência e fizeram o cerco à empresa. “Os indivíduos tentaram acessar os cofres, mas não conseguiram. Eles fizeram disparos contra nossos policiais e, na fuga, abandonaram veículos e armamento”, explicou. 

Durante a ação dos criminosos na cidade, policiais militares do 16º Batalhão de Polícia Militar (16º BPM) reagiram e confrontaram o grupo mesmo após a interdição de vias da cidade e dos acessos à unidade. Dois policiais da unidade, que saíam do batalhão de viatura momentos antes da ação dos criminosos, foram alvo de disparos e ficaram feridos. Ambos estão internados em um hospital na região. 

“Temos dois policiais militares feridos sendo atendidos e passamos a madrugada toda no matagal em busca dos autores desse ataque. A Polícia Militar não tem hora para acabar a operação”, afirmou o coronel Hudson. 

INVESTIGAÇÃO - A Polícia Civil já está investigando a ação criminosa por meio de um Inquérito Policial. Imagens de câmeras de segurança, relatos de testemunhas e de policiais estão sendo reunidos e analisados para chegar a autoria da tentativa de roubo. Além disso, foram encaminhados papiloscopistas aos locais onde os suspeitos percorreram a fim de coletar digitais deixadas em objetos usados pelo grupo. Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) também estão na região e integram a operação integrada juntamente com outros órgãos de segurança pública. 

RESPOSTA - Desde as primeiras horas após a tentativa de roubo, um grande cerco foi montado na região rural da cidade. Policiais militares do 16º Batalhão de folga e alguns da reserva remunerada voluntários também ajudaram a evitar o roubo, fazendo com que os criminosos fugissem para a região rural. 

O trabalho segue na região com policiamento terrestre e aéreo. Efetivos de diversas unidades da PM e da Polícia Civil estão nas ruas e áreas de mata, inclusive com apoio de cães de faro, para tentar localizar os fugitivos. 

A Polícia Científica também enviou peritos do Instituto de Criminalística de unidades de Curitiba e Guarapuava para agilizar as perícias e demais exames a partir dos materiais deixados pelos criminosos, como carros, munições, armas, e diversos outros tipos de vestigíos dos criminosos. A partir disso, será possível emitir laudos e apontar indícios de autoria.

GALERIA DE IMAGENS