Prainhas do Noroeste não registram afogamentos em áreas protegidas por guarda-vidas
25/01/2023 - 12:07

Para garantir a segurança do crescente fluxo de banhistas que visitam as praias de água doce na região Noroeste, o Governo do Estado reforçou a presença de guarda-vidas na região durante o Verão Maior Paraná. O trabalho envolve a atuação de 45 bombeiros militares e nove guarda-vidas civis desde 16 de dezembro nas praias formadas nas orlas e ilhas dos rios Paraná e Paranapanema, nos municípios de Porto Rico, São Pedro do Paraná e Marilena, onde não foram registrados afogamentos.

O foco dos profissionais, sob o comando do Corpo de Bombeiros do Paraná, é em monitoramento, sinalização, orientação e advertências aos banhistas. Ou seja, de prevenção de possíveis acidentes e afogamentos, a partir de ações junto aos veranistas. Do início do trabalho até 25 de janeiro, o Corpo de Bombeiros registrou mais de 23 mil ações preventivas. A corporação também entregou 224 pulseirinhas de identificação para crianças e localizou 41 delas que acabaram se perdendo dos pais e parentes.

A atuação dos profissionais é especialmente importante devido às características distintas da região em relação ao banho de piscina ou no mar. “Por ser um rio fundo, com poucos passos a pessoa acaba perdendo contato com o solo e não consegue retornar para uma área segura por conta da forte correnteza”, explicou o segundo-tenente Wallison Padovani Pinto, que é um dos oficiais que coordena o trabalho da corporação no Verão Maior Paraná na Costa Noroeste.

Apesar dos riscos, o contato direto dos guarda-vidas com a população nos pontos de maior movimento tem surtido o efeito desejado. “Fizemos muitas advertências aos banhistas nas últimas semanas, mas não tivemos nenhum registro de afogamento no Porto Maringá, Porto São José e em Porto Rico”, informou.

Para garantir uma atuação rápida e eficiente em casos de emergência, os profissionais passam por treinamentos práticos no Rio Paraná. “O treinamento que fizemos é elaborado pensando em ocorrências como colisões ou naufrágio de embarcações e a nossa atuação é para evitar que as pessoas entrem em pânico em situações como essas”, relatou Wallison Padovani Pinto.

LOCAIS PROTEGIDOS – Os guarda-vidas estão distribuídos em oito postos fixos espalhados no Porto Maringá, em Marilena; no Porto São José, distrito de São Pedro do Paraná; na orla e na Ilha de Santa Rosa, em Porto Rico. Cada um dos pontos conta com dois a quatro profissionais, que também participam de monitoramentos com embarcações na região. As equipes permanecem com esta estrutura até o carnaval.

Nas últimas semanas, ocorreram três afogamentos na região, todos em locais fora da abrangência dos guarda-vidas. “Nós também passamos em lugares onde não há postos fixos do Corpo de Bombeiros para orientar e conversar com os turistas. Alertamos as pessoas para que sigam as nossas orientações e procurem lugares pra se banhar onde haja a atuação dos guarda-vidas, que estarão de prontidão para agir caso necessário”, concluiu o coordenador.

CUIDADO COM AS CHEIAS – Nos últimos dias, o nível do Rio Paraná subiu cerca de três metros devido à abertura das comportas da Usina Hidrelétrica de Rosana, localizada poucos quilômetros acima dos municípios. O cabo Wagner Moreira, que trabalha há 13 anos no Corpo de Bombeiros, explica que o volume de água dos rios demanda uma alta capacidade de adaptação dos guarda-vidas que atuam na região.

“O rio é muito volátil, com mudanças diárias na altura e correnteza, e a abertura das comportas da usina em São Paulo também interfere bastante e precisamos nos adaptar às mudanças”, relatou. “Diariamente identificamos pontos de risco com bandeiras e placas para proteger ao máximo o banhista, para que ele tenha tranquilidade para curtir o seu verão”.

Outro fator de risco é o consumo exagerado de bebidas alcoólicas nas praias e embarcações que circulam pelo rio. “As pessoas perdem um pouco da noção do perigo quando bebem e ficam dispostas a entrar no rio sem cuidado mesmo com a orientação dos guarda-vidas. Apesar disso, nesta temporada os banhistas têm colaborado e não houve nenhum afogamento sob a nossa supervisão”, comemorou.

LAZER SEGURO – A presença constante dos guarda-vidas garante a tranquilidade de quem visita a região. É o caso de Helen do Nascimento, de 55 anos, que mora em Loanda e costuma frequentar as praias de água doce nos momentos de folga.

“Eu gosto do mar porque ele me acalma e relaxa, mas para banho eu prefiro as praias de água doce, até por estarem mais próximas de casa”, contou. “Desde o ano passado eu observei que estão tendo um cuidado maior com a segurança e a gente está se sentindo bem tranquilo para tomar banho no rio”.

Outro que aprova a estrutura montada no Noroeste é Paulo Carvalho, 38, que saiu de Paranavaí para passar o dia com a família na praia de Porto São José. “Todo final de semana a gente está por aqui. A cidade é muito hospitaleira e o pessoal nos recebe bem, além de ter bastante segurança na beira da praia”, disse.

VERÃO MAIOR PARANÁ – O Verão Maior Paraná tem ações voltadas aos veranistas e comunidade local, com atividades esportivas e de lazer, aulas de ginástica, dança, caminhadas, recreação infantil, torneios e eventos esportivos, além de uma série de outras práticas relacionadas ao entretenimento. Acesse o site www.verao.pr.gov.br e confira a programação completa das atrações promovidas pelo Governo do Estado. As ações acontecem nos municípios do Litoral, além de Porto Rico e São Pedro do Paraná, no Noroeste do Paraná.

GALERIA DE IMAGENS