Polícia Militar

07/01/2019

Chuva não atrapalha a 19ª edição da Travessia dos Veteranos do Corpo de Bombeiros em Guaratuba

Os guarda-vidas veteranos do Corpo de Bombeiros do Paraná priorizaram a confraternização e o esforço de cumprir mais uma meta ao participarem da 19ª edição da Travessia dos Veteranos em Guaratuba, na manhã deste sábado (05/01). O grupo de aproximadamente 100 pessoas nadou 600 metros na Praia Central e chegou à areia cantando o hino da Corporação numa verdadeira festa.

O Comandante do 8° Grupamento de Bombeiros, tenente-coronel Gerson Gross, parabenizou o envolvimento dos veteranos e enalteceu a história e a experiência deles. “É uma energia muito gostosa rever as pessoas que trabalharam conosco e bombeiros que nem chegamos a conhecer. Tive a oportunidade de conhecer um bombeiros que entrou na Corporação em 1960 e está aposentado há mais de 30 anos, então para nós é uma alegria rever essas pessoas, conversar com elas”, afirmou.

O evento é um tradicional encontro de profissionais que atuaram por décadas como guarda-vidas e hoje, mesmo na condição de reserva remunerada, não perderam a essência de ser bombeiro militar. A ideia de promover a Travessia surgiu em 2000, pelo subtenente Batista, hoje com 82 anos, que estimulou o comandante do Corpo de Bombeiros a promover um encontro com os veteranos a fim de reforçar o espírito de pertencimento à Corporação.

“O Corpo de Bombeiros sempre nos apoia na organização do evento. Meu objetivo é ver o pessoal nessa folia, em harmonia, confraternizando a vida. Mesmo com as festas de Natal e de Ano Novo, esta festa para mim é a maior de todas”, destacou o subtenente.

A organização da atividade foi do 8° Grupamento de Bombeiros (8° GB) e contou com o envolvimento de dezenas de guarda-vidas. Para dar assistência aos participantes foi montada uma estrutura de segurança com ambulância e socorristas a fim de atender quem precisasse. Na água os bombeiros militares supervisionaram o nado dos veteranos com pranchões, embarcações e motoaquática.

O tempo desfavorável com chuva e vento não inibiu nem um pouco a animação dos bombeiros. Entre abraços e reencontros de colegas de farda, o que imperou foi o sentimento de pertencimento e o respeito aos que criaram as bases da instituição para a entrada das novas gerações de profissionais.

“A coisa mais bonita que tem é poder rever os amigos, são pessoas que faz mais de 20 anos que não os vejo. Da vontade de colocar a farda e voltar a ativa. Da vontade de fazer de tudo o que a gente fazia”, disse o sargento Pedro Teixeira Aparecido.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.