Polícia Civil

09/02/2018

Funcionária é presa suspeita de desviar mais de R$ 400 mil de concessionária de veículos

Uma mulher, de 39 anos, funcionária de uma concessionária de veículos de Curitiba, foi presa em flagrante no final da tarde de quinta-feira (08/02), suspeita desviar cerca de R$ 100 mil da empresa por meio de furto mediante fraude.

A investigada foi detida em seu apartamento situado na Avenida Nossa Senhora da Luz, no bairro Hugo Lange, capital, por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR).

De acordo com investigações, há suspeitas de que a funcionária teria desviado nos últimos anos em torno de R$ 500 mil da empresa. A especializada chegou até a suspeita depois que o funcionário do setor financeiro da concessionária descobriu a fraude e denunciou o caso à polícia.

A suspeita trabalhava no setor financeiro da empresa há sete anos e mantinha um esquema utilizando o nome de clientes ou fornecedores da concessionária para realizar diversas transferências bancárias as quais eram destinadas a sua própria conta.

“Ela utilizava um esquema muito simples, substituindo o número da conta da empresa em boletos, fazendo com que os valores pagos por clientes caíssem diretamente na conta dela”, explica o delegado-adjunto da DFR, Emmanoel David.

Segundo o delegado, ao perceber que a fraude havia sido constatada, a funcionária acabou transferindo em uma única vez, a quantia de R$ 100 mil para a sua conta bancária. Ao ser questionada pela polícia após sua prisão, a suspeita alegou ter transferido a alta quantia após um ato de desespero por ter sido descoberta.

Ela confessou também que já havia realizado inúmeras transferências de menor valor de forma fraudulenta desde 2013. A funcionária apontou a participação de um outro funcionário no esquema criminoso. “Até o momento não comprovamos a participação deste funcionário no esquema. Nós vamos ouvi-lo e se houver alguma evidência, ele também responderá pelo crime”, finaliza.

A suspeita responderá pelos crimes de furto mediante fraude, falsificação de documentos e lavagem de dinheiro. As investigações seguem.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.